Os 5 carros mais odiados do brasil


VW Gol - Caso clássico. Desde que virou o carro mais vendido do Brasil, o Gol passou a ser também o carro mais odiado do país. Quem tem ama, quem não tem, pode não admitir, mas é doido para ter. O Gol não é um exemplo de inovação e tecnologia, mas é o orgulho da indústria nacional. É um carro feito para o Brasil, porbrasileiros e para o brasileiro. Não é à toa que há mais de 20 anos é o carro mais vendido do Brasil. A verdade é dura, mas a rejeição ao Gol se deve simplesmente pelo seu grande número de vendas.


Fiat Uno Mille – O Uno Mille é um clássico. Um carro que revolucionou o mercado automobilístico brasileiro. Fez sucesso durante anos. É provavelmente o melhor carro produzido pela Fiat. Baixa desvalorização, econômico, fácil de dirigir, peças baratas e manutenção fácil. A Fiat tinha sua galinha dos ovos dourados, mas acabou errando a mão no passar dos anos. O Uno ficou desatualizado (continuou o mesmo por mais de 20 anos) e viu seus concorrentes superá-lo em pouco tempo. Por esse motivo e por ser um dos carros mais baratos, o Uno Mille é um dos carros mais rejeitados do Brasil.

Renault Clio - Este é um caso estranho. É incrivelmente rejeitado. Dois tipos de pessoas compram o Clio. As mulheres jovens que acabaram de tirar a carteira de motorista e osestudantes da USP. Ao lado dos seus concorrentes diretos, o Clio não faz feio e pelo contrário, o acabamento, preço e confiabilidade são os pontos fortes do Clio. Talvez a manutenção, consumo e design ultrapassados estejam contribuindo para que esse carro seja tão rejeitado.


Fiat Siena – O Siena só não é rejeitado pelos taxistas de Belo Horizonte. Talvez essa seja a cidade com maior número de taxistas que possuem Siena. Mas ao contrário do que muitos pensam, o Siena é um carro tão sem sal, que nem os taxistas belorizontinos morrem de paixão por ele. Numa rápida pesquisa entrevistei proprietários de Fiat Siena. Nenhum deles afirmou que o motivo da escolha e compra teria sido porque considerava o carro bom ou melhor que os concorrentes. Quase todos responderam que foi “porque ele era o mais barato.” Talvez por ser o mais barato, seja tão rejeitado.

Fiat Uno (Novo) – “Ele é lindo”. “Ele é horroroso”. “Moderno e atraente”. “Carro de mulher”. “Amo meu novo Uno”. “Ridículo”. Elogiado e detonado, o novo Uno é sempre motivo de discussão. Quem tem, ama. Mas a verdade é que o índice de rejeição do novo Uno é altíssimo. Principalmente entre os taxistas e motoristas particulares. Puro preconceito contra quem compra. Geralmente pessoas de baixa renda, estudantes e mulheres que buscam o primeiro carro. Mas o seu principal comprador ainda são as locadoras de veículos.

O consumidor brasileiro é assim, quando um carro é lançado, o índice de rejeição é baixíssimo. Quando esse carro alcança um número considerável de vendas, ele passa a ser odiado. Quanto menos vendido for um modelo, menos rejeitado ele será. Principalmente se ele for caro. O brasileiro, de um modo geral, não gosta de ser igual nem pior que o seu vizinho. Ele precisa ser diferente e exclusivo.
Obrigado pelo seu comentário